NUTRIÇÃO EM ONCOLOGIA

Pacientes oncológicos devido ao quadro, efeitos colaterais de quimioterapia e/ou radioterapia, apresentam por si só inapetência, náuseas, vômitos, diarreia, obstipação, mucosite, alteração do olfato e paladar, odinofagia, neutropenia, disfagia, má absorção e aversão por alimentos. Desta forma, inicia-se uma “desnutrição”, podemos assim dizer, mais conhecida como caquexia.

A nutrição é fundamental para esses pacientes, uma vez que tudo acontece muito rápido devido as consequências multifatoriais dos tratamentos, incidindo gravemente no estado nutricional do paciente. Existem pacientes que não sofrem com todos esses efeitos colaterais, os mesmos são considerados pacientes terciários, mas sem risco nutricional.

Devemos sempre nos atentar, pois o quadro dos pacientes oscila muito, sendo que em um dia pode estar com aceitação alimentar de 80 a 90% e dois dias depois pode diminuir para 50% ou menos.

A perda de peso é um sinal preocupante, pois pode acarretar no aumento das complicações e diminuição no tempo de sobrevida, uma vez que indivíduo fica mais debilitado. Por isso, a avaliação nutricional de cada paciente deve ser individualizada, baseando-se em diversos fatores como dietéticos, subjetivos antropométricos, laboratoriais, entre outros. Após a realização da avaliação, pode-se indicar a terapia nutricional adequada, via oral, enteral e parenteral.

A reabilitação nutricional é um indicador de qualidade de atendimento, no qual a nutricionista estabelece ações sistematizadas e presta assistência nutricional com início, meio e fim. Sendo assim, a ação contínua da equipe multidisciplinar, contribuí positivamente para o sucesso do tratamento no paciente.

Christiane A. de Azevedo
Nutricionista Clínica
CRN3ª 34077

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *