Um terço dos pacientes com câncer utiliza medicina complementar e Integrativa

Estudo publicado no JAMA Oncology demonstrou que um terço dos pacientes com diagnóstico de câncer nos Estados Unidos utiliza terapias complementares, como meditação, ioga, acupuntura, fitoterapia e suplementos. Liderado por pesquisadores do Southwestern Medical Center, o trabalho mostrou ainda que cerca de 29% daqueles que utilizam tratamentos não convencionais não relataram o uso aos seus médicos.

“Os pacientes mais jovens, especialmente as mulheres, são mais propensos a usar tratamentos complementares, mas acreditávamos que mais pacientes informavam o uso de terapias complementares aos seus médicos”, disse Nina Sanford, professora assistente de rádio-oncologia no UT Southwestern Medical Center e primeira autora do trabalho. “Esse dado é preocupante, especialmente no caso de suplementos de ervas, pois não sabemos exatamente o que contém esses produtos e de que forma poderiam interferir no tratamento. Especificamente em pacientes em radioterapia, existe a preocupação de que níveis muito altos de antioxidantes possam tornar o tratamento menos eficaz”, acrescentou.

Os suplementos fitoterápicos foram a medicina complementar mais comum e a quiropraxia, ou manipulação osteopática, foi a segunda mais comum, de acordo com a análise dos dados da Centers for Disease Control and Prevention’s National Health Interview Survey.

Métodos

O National Health Interview Survey (NHIS) coleta dados anualmente sobre uma série de indicadores de saúde de adultos norteamericanos. Em 2012, o NHIS incluiu um suplemento sobre o uso da CAM (do inglês, Complementary and alternative medicines), conforme definido pelo National Center for Complementary and Integrative Health.

Os dados sobre o uso da CAM e os dados demográficos dos participantes que relataram um diagnóstico de câncer foram obtidos através de entrevistas. As análises de dados para este estudo foram realizadas de outubro a dezembro de 2018.

A Sociedade Internacional de Oncologia Integrativa fez uma revisão que foi referendada pela American Society of Clinical Oncology (ASCO) recomendando procedimentos como meditação, yoga, acupuntura, musicoterapia, etc. basicamente como auxiliares o tratamento de sintomas como estresse, depressão, fadiga, náuseas, etc.
Portal Onconews

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *